segunda-feira, 29 de junho de 2009

Quero de volta as garrafas de vidro


O excesso de garrafas PET é um problema que já foi questionado por muitos setores da sociedade, o que acabou incentivando a reciclagem deste tipo de plástico por algumas indústrias que descobriram na preservação do meio ambiente uma forma de tornarem-se sustentáveis.

No entanto, mais do que simplesmente reciclar, o bom senso da sustentabilidade prega que, após você reduzir o seu consumo, você deve reutilizar, para só então reciclar. Um problema que dificulta a reutilização destas garrafas são as diferenças de design entre as garrafinhas plásticas, além do descarte das mesmas, que prejudica a qualidade dessa para ser reutilizada, e o que acaba sendo um apelo de marketing que ganha pelos olhos, agora, você leitor, passará a ter uma nova visão sobre isso.

Um grupo de pequenos produtores de refrigerantes, dessas marcas regionais que dificilmente se encontra por outros Estados, reuniram-se e estruturaram o projeto "Garrafa Sustentável", que objetiva espalhar por todo o brasil a padronização de garrafas de 200, 290 e 1000 ml de vidro, pregando as garrafas retornáveis.

Este projeto passará a sair do papel a partir do segundo semestre de 2009 graças a um acordo firmado com a Caixa Econômica Federal. A AFREBRAS, associação que representa mais de 130 pequenos e médios fabricantes nacionais de refrigerantes, concentrará suas ações em 6 áreas principais:

Promover a organização setorial;
Fomentar o desenvolvimento, crescimento e a competitividade das fábricas nacionais;
Reduzir custos de forma global para o setor, com o compartilhamento das garrafas;
Aumentar divisas;
Gerar riquezas e empregos para as regiões onde as fábricas estão instaladas e;
Fortalecer o setor para fazer frente aos dois grandes concorrentes internacionais, que correspondem a cerca de 90% do faturamento do setor.

Inicialmente serão produzidas 20 milhões de garrafas de vidro em design padronizado, como o exemplo das carrafas de cerveja de 600 ml, para suprir esta demanda inicial no primeiro ano de implantação, e mais 20 milhões no segundo ano obedecendo regras de sustentabilidade e responsabilidade sócio ambiental que vem sendo propagadas em todo o mundo.

Hoje, mais de 30 empresas associadas à AFREBRAS já adotaram a iniciativa, ou seja, mais de 30% do setor já comunga do projeto. Os demais produtores devem aderir nos próximos dois anos.

Há quem diga que os refrigerantes nacionais não são bons (excluindo o Guaraná Antártica que já), que são demasiadamente doces, ou aguados, ou com muito gás, ou com qualquer outra coisa que faça as marcas dos empreendedores nacionais perderem para as Coca-Colas da vida.

Bem, se você pretende realmente tomar refrigerante ao invés de um bom suco natural, quebre o pré-conceito, afinal, os de produção local custam até mais barato. Tudo bem, há os que dizem que o "nosso" refrigerante é mais barato porquer não pagam impostos... eu não concordo muito com isso, na grande maioria dos casos, as empresas são pequenas, a carga de impostos são menores, e o investimendo em marketing então nem se compara.

Lembrem-se que ao tomar um refrigerante Kuat, além da garrafinha de plástico nova, você está pagando pelo nome Kuat, e não exatamente pela qualidade do produto ou da empresa.

Porque vidro

É bem verdade que para se reutilizar uma garrafa de vidro é necessário um processo e higienização, com uma lavagem com soda cáustica. Mas vale lembrar que em um procedimento industrial, onde desperdício é prejuízo, os índices de água utilizados para esta lavagem são mínimos por garrafa, e este processo de lavagem tem uma eficiência muito alta. Não queira comparar um processo industrial com a sua lavagem dos pratos após o almoço.

E no caso da reutilização desta garrafa para outros fins, ressalto que com um quilo de vidro se faz outro quilo de vidro, com perda zero e sem poluição para o meio ambiente. Além da vantagem do reaproveitamento de 100% do caco, a reciclagem permite poupar matérias primas naturais, como areia, barrilha, calcário, etc.

A AFREBRAS

A Associação dos Fabricantes de Refrigerantes do Brasil foi criada para incentivar o setor de bebidas nacional a se organizar e lutar pelos seus direitos. Com o surgimento da Associação - representando mais de 130 pequenos e médios fabricantes - o setor tem a oportunidade de mudar o mercado brasileiro de refrigerantes, que hoje é monopolizado pelas multinacionais.

Fonte: Maxpress

6 comentários:

Rubis disse...

SAudade de passar por aquiii!!!
rsrs
Ehh.. eu também quero as garrafas de vidro de volta!!
C

Ge Rocha disse...

Eu adorei o tema do blog, pois também penso e faço mudanças ecológicamente corretas na minha casa, essa reportagem das garrafas me chamou muito a atenção, pois eu já havia pensando no assunto, faço artesanato de pet, e o problema é justamente os designs das garrafas que diferem, então de algumas marcas fica difícil aproveitar do jeito que eu gostaria, vou torcer para que um dia todas as empresas cheguem a um acordo de apenas um modelo de garrafa pet, facilitará a vida de quem faz artesanato ecológico.

Érica Sena disse...

Oi, muito legal seu blog.
Se quiser ser meu parceiro e trocar informações me visite.
Parabéns1!!

Érica Sena
http://pensareco.blogspot

Julianaaa disse...

Realmente a volta das garrafas de vidro seria ótima!

Alquimistas.com disse...

Outro problema sério são as garrafas "long neck" que não são recicladas e se acumulam causando danos a natureza.
Parabéns! Ótimo blog!

Reinaldo disse...

Concordo com você... veja: http://reinaldo-doispontos.blogspot.com/2011/01/enchentes-2011.html
Abraço!
Reinaldo