sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Pra que passar roupa?

Quando cursava engenharia mecânica, numa aula da cadeira de Ciências do Ambiente certa vez fiz uma análise do ciclo de vida e uma posterior comparação entre camisas de algodão e camisas de poliéster...

O que seria melhor? Uma blusa a partir de um mineral altamente poluente, que gerava muita poluição na sua extração e no seu refino, ou utilizar um produto oriundo de fibras naturais, bio degradável num menor espaço de tempo, mas que demanda grandes áreas devastadas para a monocultura do algodão...

Assim é fácil perceber que ambas geram impacto negativo. A análise neste caso teria que ser focada em você, cidadão, para que se chegue a uma conclusão.

Você compra uma roupa pela necessidade de se vestir para você, ou pela necessidade de se arrumar para a sociedade? A pergunta parece grotesca e altamente indutiva, mas ela tem sentido. Tem gente que compra roupa já pensando no descarte, e não põe em prática uma das teorias do contexto ambiental, a dos 3R's (reduza, reutilize e recicle).

Se avaliarmos bem, o maior impacto ambiental inerente a uma camisa está ligado ao seu uso, e não à sua produção ou ao seu descarte (o que não faz dessas etapas menos importante)... A indústria têxtil (em geral) trabalha com altos índices de eficiência tanto de matéria prima quanto de energia, do contrário ela não seria competitiva, então o custo benefício da produção se equipara nos dois casos. No descarte, você tem a vantagem de que a blusa sintética pode de alguma forma ser reciclada, afinal é proveniente de um políero sintético, já a de algodão é bio-degradável.

Mas e quanto ao uso...

Se pensarmos que o ferro elétrico, assim como o chuveiro elétrico, são dois dos responsáveis pela maior parcela da conta de energia de uma residência (considerando que a maioria da população não usa ar-condicionado), se eliminarmos parte da dependência do ferro de passar roupa, haveria um grande ganho ambiental na economia de energia. E as roupas sintéticas demandam menos água para limpar suas fibras do que utilizamos para tirar uma mancha do tecido de algodão.

Esta informação diz que o tecido sintético é melhor? Aparentemente sim, mas ele não é tão confortável quanto um de algodão. Uma roupa de 'plástico' esquenta mais, faz você suar, e em geral faz você continuar suado, ao contrário da de algodão, que enquanto você sua ela absorve liquido. Ai você pode colocar na conta que você vai ter que tomar banho mais vezes se utilizar só roupa de poliéster, e o ganho na lavagem da roupa foi para as cucuias, e se vc toma banho quente, o ganho em passar roupas também foi inútil.

Este tecido, por uma questão comportamental e cultural não deve substituir o algodão. Mas ai pensemos, qual a necessidade de se passar uma roupa. Não é uma questão de asseio, mas de apresentação social. Se você aparecer no seu trabalho com sua roupa sem passar, muito provavelmente passará uma imagem de desorganizado e irresponsável, que não consegue gerir sua casa nem sua própria vida, e isto poderá te custar o emprego... mas não pensarão que você é, ao contrário, uma pessoa extrememente organizada e coerente com seus princípios, e está preocupada também com o futuro dos filhos do seu chefe e dos seus colegas de trabalho. Então é preciso suprir esta necessidade de se passar roupa por este motivo.

Mas já avaliaram a real necessidade de se passar uma cueca/calcinha? Ou de se passar roupa de cama (fronha e lençol)? E quanto à toalha...

Estas são atividades culturais arraigadas na mentalidade das pessoas, mas que não tem nenhum significado higiênico. Depois que você lava uma roupa, o fato de passá-la não contribui para a aniquilação de alguma bactéria que possa ter resistido ao banho -lavagem - ou aos componentes químicos presentes nele (sabão em pó, alvejante, amaciante...). Mas enfim, quanto ao uso destes componentes químicos, eu falo numa outra hora, mas por agora, fiquemos por aqui... mas pensem sobre o que falei. Mas do que pensar, internalizem...

A melhor opção

Ahhh, quanto à melhor opção entre a camisa de algodão ou poliéster... a resposta é: depende. Do seu perfil, do seu objetivo... o mais importante nesta 'brincadeira', é criar o hábito de tentar impactar o mínimo possível, e para isto é preciso agir com consciência.

Nova máquina de "passar roupa".



Este video serve para mostrar o que a criatividade humana é capaz de fazer. Use sua cabeça, e pense algo produtivo.

Bem, já que sua leitura chegou até aqui, e vocês gostaram (ou não)... e concordaram (ou não)... comentem. Não há nada melhor para um blogueiro do que ouvir e ler críticas sobre seus textos.

21 comentários:

Daiane Santana disse...

Links Ambientais - confira!!

[...] Por um mundo melhor [...]

:D

mano maya kosha disse...

legal ver um blog que mais do que levantar bandeira tem comentários substanciais e plausíveis para a gente se orientar e compreender ... pretendo retornar com mais tempo para me apoderar de posts anteriores, parabéns pela iniciativa ...

Anônimo disse...

muito inteligente

DaNieL disse...

Cara, MUITO legal seu blog. Está de parabéns!!! Alem da originalidade, tem conteúdo. Abração!

TatiLie disse...

Oi, Eduardo.
Cheguei no seu blog através da comunidade do Orkut "Reduza, Reutilize, Recicle". Gostei do input que vc colocou no post (apesar de não concordar que somente sabão higieniza as roupas, mas considerando que eu sou dentista, sou muito mais exposta a fungos, bactérias, vírus e esporos, e as minhas roupas são muito mais nojentinhas no fim de um dia de trabalho). Achei muito interessante sobre o ciclo de vida das camisas. Vc falou bem e que acho que é o que as pessoas se menos se lembram, é que antes de tudo, vem o 'reduza'.
Parabéns pela iniciativa.

Carpentier disse...

Mas esse papelao nao passa roupa! apenas dobra..
as roupas tem de estar pre-passadas..

Saudações!

Arte&Reciclagem disse...

Acho q o ideal seria utilizar material reciclavel pra fabricar roupas, ja existem algumas feitas a partir de garrafa PET.

Denis disse...

e ae rapaz! muito bom seu blog! parabéns!

Kacau disse...

Nossa essa história da roupa é muito intessante.São vantagens e desvantagens que devem ser avaliadas por todos nós.

Muito boa a temática de seu blog.
Como vc pode ver não são muitos que se importam com isso.
Boa sorte e parabéns pela iniciativa!

http://messnatural.blogspot.com/

Admirável Mundo Médico disse...

É uma questão bem interessante!
Eu acredito que teoricamente uma boa parcela da população se da conta do prejuizos causados ao meio ambiente. Mas eu vejo que raros são os que estão dispostos a abrir mão de alguns "luxos".

marceloclash disse...

Muito bom o conteúdo do seu blog. A blogosfera precisa de trabalhos assim iguais ao seu. Parabéns. Obs: Eu tenho um camisa igual essa da imagem rs


http://papodomarcelo.blogspot.com/

Diego disse...

hummm bela dicaa....nunca tinha pensado nisso...da um pouco de trabalho né? mas ajuda e MUITO o meio ambiente..


abraçosss

Miriã Soares disse...

...passo roupa por obrigação social, mesmo...mas nunca pensei nisso como questão e preservação ambiental...parabéns, pelo Blog, seu trabalho e muito importante...
http://mdiversidades.blogspot.com/

jheison disse...

miuto bom...
ainda bem q eu naun passo minhas roupas


ótima postagens

amandaedalete disse...

uhuahuahuahu boa pergunta!
kkkkkkkkkkkk
"Pra que passar roupa?" oO

Speed Boy disse...

Edu, adorei este seu post. Não tinha comentado ainda por falta de tempo, mas hoje tirei a tarde para fazer estas atividades digitais que tanto nos prende ao PC.

Cara, nunca havia pensado neste paradigma que é a utilização de tecidos sintéticos ou orgânicos.

Realmente muito inteligente seu pensamento.

Grande abraço!!

carollcassano disse...

Muito interessante o raciocínio. Cada vez me convenço mais de que a educação é a base de tudo. Sou um pessoa consciente (tento), e me importo com as questões sociais e ambientais, mas sempre me deparo com pensamentos como os do texto, que nunca passaram pela minha cabeça... faz todo o sentido. A gente fica meio neurótico, mas é por uma boa causa. Entretanto, embora acredite que a gente não precise passar todas as roupas, isso realmente ajuda a reduzir a carga de microrganismos dos tecidos. Lavar nem sempre basta... Parabéns.

edvin disse...

cara!eu uso muita camisa de algoda, mas tenho uma tecnica pra nao usar o ferro de passar roupas,
eu so um borrifador com agua ai toda vez q vou sair dou uma borrifada nas camisas deixo um pouco umidas dou uma sacudida e o resultado e melhor do q o ferro pq nao ficam amassadas e nao ficam quentes.

Rosana disse...

Na minha prática diária faço isso há anos, e ainda muitos ao redor começam tb a fazê-lo depois de pelo menos pensar a respeito..passar o mínimo possível de roupa. Sem secretárias domésticas, pouca grana, consciência e criatividade podemos economizar bastante. E é claro, trabalho, que começa logo após a lavagem. Dicas: Não deixar roupa torcida sem estender,"bater" bem a roupa antes de estender, nada de pendurar pelas pontas ou beiradas da roupa, pendurar pelo meio bem esticadas toalhas, lençóis, fraldas de pano(acho que ninguém mais usa, né, eu usei e meus filhos só foram passadas até um mês de idade foram crianças sem nenhuma doença, e tb são os primeiros a dizer que não se passe tal ou qual roupa), camisas em cabides, deixar tomar sol somente as que não se desbotam,organizar o varal, recolher já dobrando logo, vemos que não sobra quase nada para passar. Tb uso vinagre branco no enxague ao invés de amaciante. Água oxigenada para alvejar e desinfetar. Seriam muitos os comentários em torno deste assunto tão vasto e presente na vida diária. Mas quase ninguém se dá conta da sua importância. Como lavamos e passamos roupas! Mesmo com tudo isso, acho alta minha conta de luz! Tb vamos combinar que andar por aí completamente amarfanhado não é muito bom, embora não se possa julgar só pela aparência. Com relação a camiseta, tb acho que é bem pessoal e circunstancial, prefiro as naturais de algodão, mas uso tb sintéticas, acho importante preservar o que se tem, consumir pouco, consertar quando e sempre que possível e se preocupar com o descarte sim. Somos responsáveis pelos nossos resíduos.
Gostei dos temas abordados por vc no blog, voltarei mais vezes. Legal fazer o povo pensar e pôr em prática realmente, elegendo e com atitude.

Gustavo Rubin disse...

Há tempos que eu procurava um texto que mostrasse a inutilidade de passar roupa.

Muito bom.

Carolina Melo disse...

Finalmente um blog inteligente e sem idiotices como a maioria. Estava procurando razões pelas quais não teria que passar a maioria das roupas aqui de casa e achei! Pra que passar pijamas, moletons, calças jeans e panos de prato? Não tem sentido mesmo. Valeu!