quarta-feira, 26 de novembro de 2008

O Dilema da Panela

Prezados leitores, aqui estamos mais uma vez. Qualquer pessoa minimamente informada está vendo os estragos que estas “chuvas de verão” estão fazendo no sul do país. Estes fatos recentes me fizeram lembrar do apontamento de um professor, na minha época de aluno de engenharia mecânica. Ele começou a falar do “dilema da panela”.

Imaginemos a seguinte situação... Chove muito, você está em casa com sua família assistindo televisão na sala comendo algo gostoso e bebendo chocolate quente para aquecer... de repente você percebe uma gota caindo do teto e pensa ‘que ótimo, uma goteira’. Você tem duas opções, deixar a preguiça falar mais alto e deixar para depois passar um pano onde molhou ou simplesmente colocar uma panela para aparar aquela água. Suponhamos que você tenha aprendido quando criança que não se pode desperdiçar água, e fazer isto agora lhe deixaria com peso na consciência... ok, com a pressão psicológica que eu estou fazendo você se levanta daquele sofá super agradável e vai pegar uma panela...

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Um novo modelo econômico

Esta tirinha é só para incitar a reflexão.

Fonte: http://blogdoplaneta.com/colunaepoca
Texto de: Marcela Buscato

O WorldWatch Institute, uma das organizações ambientais mais respeitadas do mundo, aproveitou o ensejo da crise econômica global para sugerir a criação de um novo modelo econômico. Desta vez, verde e sustentável, e não assentado no consumismo desenfreado.
Ele se basearia em princípios como eficiência energética, investimento em infra-estrutura não-poluente e fabricação de produtos mais duráveis. Enfim, em tudo o que os ambientalistas têm propagado há anos. Mas antes que algum governante erga a mão para dizer “Ei, com a crise não teremos dinheiro para fazer as mudanças necessárias”, o WorldWatch listou de onde poderiam vir os fundos para tal investimento:

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Pra que passar roupa?

Quando cursava engenharia mecânica, numa aula da cadeira de Ciências do Ambiente certa vez fiz uma análise do ciclo de vida e uma posterior comparação entre camisas de algodão e camisas de poliéster...

O que seria melhor? Uma blusa a partir de um mineral altamente poluente, que gerava muita poluição na sua extração e no seu refino, ou utilizar um produto oriundo de fibras naturais, bio degradável num menor espaço de tempo, mas que demanda grandes áreas devastadas para a monocultura do algodão...

Assim é fácil perceber que ambas geram impacto negativo. A análise neste caso teria que ser focada em você, cidadão, para que se chegue a uma conclusão.

Você compra uma roupa pela necessidade de se vestir para você, ou pela necessidade de se arrumar para a sociedade? A pergunta parece grotesca e altamente indutiva, mas ela tem sentido. Tem gente que compra roupa já pensando no descarte, e não põe em prática uma das teorias do contexto ambiental, a dos 3R's (reduza, reutilize e recicle).

terça-feira, 18 de novembro de 2008

Salvador e o seu misterioso PDDU

Primeiramente, o que é o PDDU?

Esta é a sigla para o Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano. É um instrumento de gestão urbana que visa definir critérios e diretrizes para o uso e ocupação do solo do município garantindo qualidade de vida e justiça social.

O PDDU em Salvador

A primeira aprovação deste projeto se deu no ano de 2004, na gestão do então prefeito pefelista Antônio Imbassay, sem a divulgação das informações e dos documentos, nem a participação da população nas discussões. Evidentemente isto daria merda problema.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Urânio em Salvador!

Cerca de 5km do trajeto percorrido todos os anos por caminhões carregados de concentrado de urânio foram pintados com simbolos nucleares.

Na madrugada do dia 23/10/2008 o GreenPeace pôs a mão na massa novamente, desta vez na terra do São Salvador, da Bahia de Todos os Santos, que está quase gritando Deus nos acuda!

Para conscientizar a população sobre os malefícios da energia nuclear, 20 ativistas demarcaram o trecho em que o yellow cake (o tal concentrado de urânio) passa todos os anos na capital baiana, após sair do município de Caetité, interior do Estado, com destino ao porto da cidade de Salvador, de onde vai para o Canadá pare ser enriquecido e volta para abastecer as usinas Angra.

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Reciclagem, será mesmo a melhor alternativa?


Muita gente pensa que age corretamente separando o lixo para a coleta seletiva. Bem, de fato isto é um grande feito, mas deve ser apenas a última alternativa.

Em me acostumei a dizer em alguns outros textos deste blog que lixo é tudo aquilo que não tem mais serventia, mas esta é uma análise complicada, afinal, nem tudo que não tem uso para nós é considerado lixo para outros...

Em primeiro lugar, creio que a atitude mais correta para se dizer que se tem uma consciência ambiental é diminuir o consumo exacerbado, ou seja, acabar com o desperdício. Conseguindo-se atingir este objetivo, ai passemos a pensar no nosso consumo sem desperdício, mas se ele é realmente necessário. Vou dar um exemplo besta que se aplica aos homens: considere a situação de você num banheiro público querendo fazer o 'número 1', e há duas opções para isto: um vaso sanitário e um mictório. Lembre que num vaso sanitário são despejatos em média 6 litros de água para 'limpar' se muito uns 250ml de urina. Já no mictório você consegue fazer a higienização do aparelho dando uma descarga que despeja apróx. 400ml de água.