quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Na onda dos BioCombustíveis

Peço desculpas pela falta de constância nas atualizações, mas justifico isto com meus afazeres diários. Este blog não tem um patrocinador que banque seu funcionamento, então como hobbie, sobra pra ele apenas meu tempo livre.

Deixando de lenga-lenga, vamos ao que interessa.

Primeiramente, o que são biocombustíveis?

Atualmente fala-se muito sobre eles, mas também há muito conflito de informações ao seu respeito. Combustível é toda matéria que, na presença de oxigênio, tem a capacidade de se inflamar. Então entendamos como biocumbustíveis os materiais que tenham a capacidade de entrar em combustão e tenham uma origem natural e uma cadeia cíclica na natureza. Mas porque não podemos apenas dizer que é aquele material oriundo de uma fonte natural? Porque a gasolina e o óleo Diesel são provenientes do craqueamento do petróleo, que é um composto mineral - logo, também é natural. O detalhe é que este mineral não é renovável a curto espaço de tempo.

Sendo assim, vamos classificar os biocombustíveis como sendo os combustíveis que tenham como fonte a "biomassa" vegetal. Esta biomassa garante a vida cíclica deste combustível. Então as pessoas se perguntam - De que forma? E a resposta é simples: Você planta uma árvore, esta árvore absorve CO2 enquanto vive, você a corta e a queima para gerar energia, e enquanto você a queima ela emite dióxido de carbono. Eis o ciclo do carbono nos combustíveis.

Ahhhh, mas não é bem assim que acontece nos automóveis, você pode dizer. E eu respondo: É SIM! Evidente que se você não anda de locomotiva, você não vai queimar árvore para se locomover, e no automóvel precisa-se de um combustível (material para queimar) que tenha fluidez, ou seja, algo líquido ou gasoso. Daí, desta planta extraimos algum fluido (óleos ou sacarose) e é a partir deles que serão gerados os chamados combustíveis limpos.

Como se produz o etanol?

No Brasil sinteticamente acontece o seguinte: um produtor (grande ou pequeno, em extensa ou estreita faixa de terra, mega-empresário ou agricultor familiar) destina uma área de sua propriedade para plantar CANA-DE-AÇÚCAR. Chegada a época da colheita, extrai-se a cana e a leva para a usina, aonde retira-se sua garapa (o conhecido caldo). Adicionam-se leveduras a esta "garapa", que são bactérias que "beberão" este delicioso caldo, e "farão xixi" quando estiverem "satisfeitas". Este xixi é o álcool que é encontrado nas bombas de combustível. Gera-se como subproduto deste processo o bagaço da cana, que já foi descartado, queimado sem propósito, hoje é queimado para geração de energia, e já existem estudos (tive a satisfação de assistir uma palestra do professor Aristóteles da Universidade Estadual de Feira de Santana sobre este assunto) que podem ocasionar na quebra das ligações lignocelulósicas das moléculas deste bagaço e também transformá-lo em um álcool.
Vide texto "Vai de álcool ou gasolina?"

Como se produz o bioDiesel?

O bioDiesel é produzidos a partir de óleos vegetais ou gorduras animais. Você pode plantar uma planta oleaginosa (soja, mamona [não faça isso], pinhão manso, dendê, amendoim dentre tantas outras) ou o sebo animal, de gado, de porco, de frango... A estes óleos adiciona-se um catalisador de reações químicas (um álcool) para ocasionar o processo de transesterificação (formação de um éster).

Deste processo tem-se uma enorme quantidade de glicerina e torta (restos dos frutos) como subproduto e de biodiesel como produto. Lembremos que subproduto não é lixo. A eficiência deste processo de produção depende da qualidade da planta oleaginosa utilizada. Primeiro que algumas plantas geram pouco óleo, segundo que nem todas geram óleos bons para serem combustíveis. Por exemplo, o óleo de mamona é muito bom para a produção de cósméticos, mas é um óleo muito insaturado, o que é horrível para a combustão no cilindro do motor.

Quanto à eficiência do álcool já existem mais de 30 anos de experiência e pesquisa que o consagram como um bom combustível, mas existem estes impasses em relação ao bioDiesel. Sua planta de origem interferirá muito na sua qualidade, e é necessário lembrar que os motores atuais, que demandarão um certo tempo até serem trocados, foram projetados para funcionárem com o óleo Diesel mineral. Mas este texto focado no bioDiesel fica para uma outra hora.

4 comentários:

30 e poucos anos. disse...

Muito legal seu blog ... é dando educação que poderemos garantir evolução.

Daniela Lima disse...

Sim precisamos urgentemente de políticas que façam mais estudos e regulamentem o biocombustível,temos q ter alternativas de fontes de energia renováveis pq o petróleo não vai durar p sempre e conflitos entre países por essa causa são óbvios!
mesmo assim, me preocupa o grande número de veículos, as facilidades p sua compra atualmente e a comodidade das pessoas... não é preciso olhar muito p ver 10 carros, cada um com somente uma pessoa dentro!!
Ahhh eu add seu blog pelo mesmo motivo... nem avisei, só queria ter a oportunidade de ver a opinião de outra pessoa pelos assuntos q me interessam... ficarei sempre de olho nele!!
abss

animes-augusto disse...

po muito bom seu blog ...

é bom ve q tem gente q ainda se preucupa com o meio ambiente ...

http://animes-augusto.blogspot.com/

30 e poucos anos. disse...

Posso sugerir um assunto que é na minha área e gera muita polêmica ?
Lixo hospitalar !!!